Connected Smart Cities premia inovação e empreendedorismo das empresas

A 4ª edição do evento nacional Connected Smart Cities, que acontece em São Paulo, nos dias 4 e 5 de setembro, contará com a divulgação das empresas ganhadoras do Prêmio Connected Smart Cities, nas categorias operacionais e pré-operacionais. A premiação reconhece iniciativas de empresas que apresentem negócios inovadores e que contribuam com a resolução de problemas, com o objetivo de tornar as cidades mais inteligentes, conectadas e humanas. A divulgação dos dez negócios finalistas que concorrem ao Prêmio já foi realizada, sendo que a última etapa de avaliação será a apresentação durante o evento nacional (dia 5 de setembro), ocasião em que os julgadores irão definir um vencedor para cada categoria. Nesse sentido, a Programação do evento destaca os temas Inovação e Empreendedorismo.

De acordo com Bruno Asp, sócio-diretor da Neurônio, empresa realizadora do Prêmio em parceria com a Sator, o Prêmio Connected Smart Cities dá visibilidade não apenas aos vencedores, mas para todos os negócios finalistas participantes. “O Prêmio está em sua 4ª edição e faz parte de outras iniciativas da Plataforma Connected Smart Cities, como o Mapa de georrefereciamento colaborativo e de dados abertos e o Ranking Connected Smart Cities, funcionando como um complemento de todas as ações voltadas ao desenvolvimento de smart cities. A iniciativa permite, ainda, um mapeamento de onde essas iniciativas estão sendo desenvolvidas e implementadas, sendo possível acompanhar que cidades localizadas no interior do Brasil, por exemplo, estão trabalhando com o conceito de cidades inteligentes”, disse.

Os Finalistas na Categoria Negócios Pré-Operacionais são: ETN – Estação de Tratamento Natural (Viçosa/MG); HidroReader – da COGESAN – Companhia Gerenciadora de Saneamento (Tangará da Serra/MT); Milênio Bus (São Paulo/(SP); Pague Verde – da Sustentare Soluções Tecnológicas (Florianópolis/SC); Pédagua e SMACity – CLIMATEMPO – Agência Brasileira de Meteorologia (São Paulo/SP). Os Finalistas na Categoria Negócios em Operação são: Big Data – Produtos LUCA, da Telefônica (VIVO) – (Barueri/SP); Diagnóstico Público, da 4mti – Soluções em Dados Públicos (Belo Horizonte/MG); E-Moving Mobilidade Urbana (São Paulo/SP); MyTrackPet, da Panorama Sistemas Integrados (São José dos Campos/SP); Way2 – Plataforma PowerHub (Florianópolis/SC). Os detalhes de todos os projetos finalistas estão disponíveis em: www.connectedsmartcities.com.br/premio/premio2018/

 



Programação

O Connected Smart Cities reúne desde 2015 diferentes segmentos da sociedade para apresentar e debater ações com foco no desenvolvimento das cidades brasileiras, tendo como base os eixos temáticos: Economia, Educação, Empreendedorismo, Energia, Governança, Meio Ambiente, Mobilidade, Saúde, Segurança, Tecnologia e Inovação e Urbanismo. O evento, que contempla uma programação com destaque para temas como Inovação e Empreendedorismo, reunirá cerca de 300 palestrantes e 90 painéis, que se apresentarão em 9 palcos simultâneos, além de um público de 2 mil pessoas.

O empreendedorismo e a inovação são estratégias fundamentais de desenvolvimento para as cidades no século XXI e, para a transformação em cidades empreendedoras, é necessário criar políticas públicas que propiciem a ascensão dos agentes criativos com o objetivo de dinamizar a economia. Nesse sentido, é fundamental entender como o empreendedorismo, a inovação e economia criativa e colaborativa estão diretamente relacionados com o desenvolvimento de cidades inteligentes.

Palestrante sobre o tema empreendedorismo, o Secretário Municipal Adjunto da Prefeitura de Belo Horizonte, Jean Mattos Duarte, afirma que a Prefeitura mineira instituiu os programas estratégicos Belo Horizonte Cidade Inteligente e o Melhoria do Ambiente de Negócios. “Existe uma relação direta entre os dois programas à medida que percebemos a cidade inteligente, tanto com o viés de melhoria da gestão pública, a partir do uso da infraestrutura tecnológica aumentando a responsividade do poder público às demandas da cidade, quanto estimulando os empreendedores do mercado que giram em torno das smart cities”, comenta.

O Secretário cita que a inovação no século 21 se dá por meio da colaboração e da multidisciplinaridade, que Belo Horizonte está atenta a esse movimento e que procura conectar os vários segmentos da economia criativa como forma de gerar inovação, fomentando também o empreendedorismo. “Projetos que propiciam conexão entre vários segmentos da economia criativa vão ao encontro desse movimento colaborativo. Cito o Projeto P7, espaço compartilhado com foco no empreendedorismo digital e economia criativa, a Funsoft, que conta com apoio da prefeitura, além do BH-TEC, parque tecnológico avançado, como iniciativas que promovem a economia colaborativa”, conclui Jean Mattos Duarte.

Já o palestrante Rodolfo Ribeiro, Fundador da Spinafre, que terá o Workshop Smart Innovation em parceria com o Connected Smart Cities, com abordagem sobre cidades empreendedoras, enfatiza: “No painel sobre oportunidades de fomento serão discutidas possibilidades para a viabilização da implantação de soluções inovadoras nas cidades brasileiras, por meio de programas e editais que foram criados justamente para facilitar a aplicação de inovações em contextos reais. Neste sentido, foram convidados importantes nomes do cenário nacional, que compartilharão, no decorrer de 8 painéis, suas visões sobre como podemos ter cidades mais inovadoras em nosso país”, argumenta.

Voltado ao tema empreendedorismo, o Connected Smart Cities 2018 contempla, ainda, o Workshop Incobra & Enrich sobre cooperação internacional para inovação. A programação sobre Inovação e Empreendedorismo está disponível nos links: bit.ly/2wj3Efr; bit.ly/2BS82r3; bit.ly/2Pbx862