IOT40

Internet das Coisas, Automação Industrial 4.0 | Emprego | Cursos | Negócios

Faturamento do e-commerce cresce 83,68%, em 2020

Volume de vendas do segmento tem alta de 73,88%, de acordo com índice MCC-ENET

São Paulo, 02/03/2021 – Com o fechamento das atividades em lojas físicas, decorrente da pandemia de Covid-19, os internautas foram impulsionados a realizar mais compras pela internet, o que resultou no crescimento de 55,74% do faturamento do e-commerce em dezembro, na comparação com o mesmo período de 2019, e na alta de 83,68% no acumulado do ano. Os dados são do índice MCC-ENET, desenvolvido pelo Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net) em parceria com o Neotrust | Movimento Compre & Confie.

O volume de vendas apresentou avanço de 53,83% no último mês de 2020, na comparação com o mesmo período de 2019, e alta de 73,88% no acumulado do ano. Em relação ao ticket médio, o crescimento foi de 1,24% em dezembro, diante do mesmo mês de 2019, com alta de 3,66% no acumulado do ano.

Esse avanço das vendas pela internet no Brasil tem resultado no surgimento de um número crescente de empresas no segmento, pois segundo o estudo Scape Report E-commerce 2020/2021, produzido pela Pipeline Capital, o mercado de comércio eletrônico brasileiro já conta com quase 600 startups e empresas, que oferecem os mais diversos produtos e serviços.

A B4A, startup de beauty-tech, detentora das marcas Glambox – maior clube de beleza feminina da América Latina – e Men’s Market – e-commerce de produtos masculinos, líder no Brasil – faz parte do grupo de organizações que viram suas operações no comércio eletrônico crescerem em 2020. “O setor já apresentava uma tendência de alta, que foi acelerada devido à pandemia, pois muitos brasileiros investiram nas compras pela internet para manter o distanciamento social”, comenta Jan Riehle, CEO da companhia.

O executivo acredita que a tendência de alta se manterá para os próximos anos. “A expectativa é que os clientes permaneçam comprando on-line, pois muitos consumidores perderam o medo de adquirir os produtos pela internet, enquanto para outros essa rotina foi ainda mais intensificada”, sinaliza Riehle. Somente em 2020, a B4A cresceu cerca de 10% ao mês e a expectativa é que a tendência de alta se mantenha em aproximadamente 8% mensalmente, em 2021. Para o CEO da companhia, o crescimento do e-commerce deve se manter na casa dos dois dígitos pelos próximos 3 anos.